Esta conversa contém resposta, possui 1 pessoa e foi atualizada pela última vez por Veruska Veruska 6 meses, 4 semanas atrás.

  • Autor
    Posts
  • #2154
    Veruska
    Veruska
    Participante

    O modelo educacional atual não atende mais as demandas da sociedade e dos indivíduos, ela inibi e rotula. Cria “fazedores de lição”. E com isso, não dá conta das dimensões que cada aluno carrega se afastando do seu universo para padroniza-lo num modelo centralizador.
    O grau de insatisfação de alunos e professores é crescente. O modelo educacional de hoje é o mesmo do Século 19.
    Esse processo que massifica e direciona o aprendizado numa única forma de saber atrofia a espontaneidade tão presente nas crianças.
    As crianças são verdadeiras esponjas e possuem uma habilidade inata de absorver informação e de pensar fora da caixa. Os dois vídeos falam sobre isso. Um expõe sua visão dessa interferência nos primeiros anos de alfabetização onde ele fala da perda da intuição e o brilho no olhar da curiosidade e o outro o declínio do pensamento divergente. E como esse processo natural da criança entra em declínio quando acessam a escola.
    É um desafio mudar esses moldes, mas para reinventar esse modelo será necessário passar por um real processo democrático na sociedade, onde a escuta e a inclusão sejam acolhidas e para tal o autoconhecimento pessoal e social é de grande importância, não conseguimos mudar quando não conhecemos/compreendemos a fonte que nos alimenta.

Você deve fazer login para responder a esta conversa.