Os Efeitos da Meditação

A meditação é mais que apenas uma técnica de relaxamento. Pesquisas científicas são agora capazes de comprovar o que, há muito tempo, se acreditava: seus efeitos positivos sobre nós.

A medicina vem, cada vez mais, utilizando a meditação na prevenção e no tratamento de diversas doenças (como distúrbios do sono, dores, problemas cardíacos e respiratórios, por exemplo). Sua prática regular altera as estruturas neuronais e estimula os sentimentos positivos. O praticante aumenta seu controle sobre seu corpo e concentração.

Através dos exercícios melhora-se a respiração e, por consequência, muitos outros aspectos – como, por exemplo, desvios de coluna causados pela respiração incorreta.

A meditação trabalha a coletividade, mas também a individualidade. É mais fácil para um praticante manter a calma em um ambiente tenso (por causa do controle maior que tem sobre si) do que para os outros, que se deixam levar pelo pensamento caótico coletivo.

Instituições muito respeitadas vêm estudando os seus efeitos neurológicos. O termo neuroplasticidade é uma constante nas pesquisas mais recentes, e se refere a capacidade do cérebro de modificar sua estrutura e função (os circuitos neuronais mais usados se expandem e fortalecem, enquanto aqueles não usados, ou usados raramente, se encurtam e enfraquecem). “Espera-se que, aprendendo a fomentar e controlar a neuroplasticidade, ela possa trazer benefícios em casos de doenças degenerativas e imunológicas, e lesões por trauma e vasculares”, observa João Radvany, neurologista, psiquiatra e neurorradiologista do Hospital Albert Einstein. “Todos os estímulos do mundo externo e interno são levados ao tronco cerebral, onde uma rede de neurônios mantém o estado acordado e de atenção como se fosse uma luz, de intensidade variável e direção itinerante, para iluminar a experiência que a gerou”, explica Radvany. “As áreas frontais do cérebro fixam o foco dessa luz, gerando concentração no estímulo que a consciência escolhe. A meditação orienta o farol para que incida num determinado aspecto da experiência, excluindo todo o resto.”

A meditação é muito benéfica no controle da ansiedade e, mesmo quando praticada pela primeira vez, já apresenta resultados imediatos nesse aspecto. Ela aumenta o nível de endorfina, conhecida por ativar o sistema imunológico e aumentando os anticorpos, ajudando no combate das doenças.

Fontes (consultadas em novembro/2011):

http://caminhodomeio.wordpress.com/2008/06/04/os-incriveis-efeitos-da-meditacao-no-cerebro-e-na-psique/

http://www.meditar.org.br/

http://www.sahajayoga.org.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=23&Itemid=47

http://www.mentalizacao.com.br/2011/10/efeitos-da-meditacao-para-o-meditador.html